Seguir para o conteúdo.

Centimfe

Secções
Ferramentas Pessoais
Você está aqui: Entrada » Projectos » Concluídos » BenchmarkIndex

BenchmarkIndex

Introdução

O Projecto BenchmarkIndex foi liderado pelo DTI – Department of Trade Industry, do Reino Unido, e pretendia, através da utilização da ferramenta benchmarking e da gestão de boas práticas, melhorar a competitividade das PME, alargando, assim, a outros países da Comunidade Europeia a utilização da metodologia do “UKBI – United Kingdom BenchmarkIndex”, devidamente adaptada às especificidades de cada estado participante.

Portugal, através do IAPMEI, integrou a iniciativa BENCHMARKINDEX, um dos cinco projectos transnacionais que constituiram o programa comunitário REACTE. A sua integração, nesta iniciativa, revestia-se de um interesse particular e relevante, uma vez que permitiu consolidar e potenciar o trabalho desenvolvido, no âmbito do Projecto de Apoio à Inovação Tecnológica das PME – Benchmarking, e garantir a inserção de projectos nacionais num contexto internacional.

Actividades / Objectivos Esperados / Desenvolvimento 

O Projecto BenchmarkIndex – Um Estudo Europeu, pretendia construir uma “Rede Europeia de Benchmarking, através da criação de Centros de Benchmarking pelos nove estados membros participantes. A iniciativa envolveu mais de mil e quinhentas empresas europeias.

Cada país participante designou dois formadores nacionais em Benchmarking, responsáveis pela difusão da metodologia junto de potenciais CNB – Consultores Nacionais em Benchmarking. Estas entidades desenvolveram a interface entre o projecto e as PME, sendo dotadas, não só de formação na metodologia, mas também de um código de acesso à base de dados “Benchmarkindex”, por forma a acederem, interpretarem e compararem os dados das empresas, e com base nessa avaliação, poderem recomendar um plano de acção de melhoria.

Vigente até Dezembro de 2001, este projecto previa a realização, por cada CNB, de dois exercícios de Benchmarking a dez empresas industriais, para avaliar áreas como a Gestão e a Produção utilizando indicadores genéricos, financeiros e modelo de excelência.

A articulação de toda a Rede Europeia de Benchmarking foi dinamizada e assegurada através de uma plataforma de comunicação, via Internet, utilizando uma estrutura comum que garantisse a compatibilidade e conexão entre todos os parceiros. Esta rede foi alimentada pelos CNB, possibilitando não só o estabelecimento de comparações internacionais, bem como, o acesso a fóruns de discussão transnacionais.

As linhas de actuação do programa passaram também pela realização de Acções Piloto, que pretendiam favorecer o reforço de estratégias inovadoras geradoras de casos de sucesso, e ainda pela divulgação de resultados com vista a potenciar efeitos multiplicadores pela via da demonstração.