O Centimfe vai iniciar já este mês de Janeiro duas Ações de Formação: ISO 9001:2015 e Auditorias Internas a 13 de Janeiro e Injeção de Plásticos Inicial a 12 de Janeiro.

Faça desde já a sua inscrição aqui.

Projeto de Formação-Ação Aprovado para o Engineering & Tooling

A candidatura apresentada pelo CENTIMFE aos Projetos conjuntos | Formação Ação: FORM2Inov | Formar Pessoas e Capacitar PMEs para a Inovação foi aprovada.

Este projeto dirigido a PMEs do Engineering & Tooling cujo modelo de intervenção assenta em FORMAÇÃO e CONSULTORIA, vai abranger 2 áreas temáticas: Organização e gestão, especificamente novas filosofias de organização do trabalho, reforço das capacidades de gestão, redesenho e melhoria de layout, ações de benchmarking, otimização de processos, ferramentas de melhoria contínua; Implementação de Sistemas de Gestão (Qualidade, Ambiente, SST ou outros), com vista à sua certificação.

O projeto que decorrerá durante 2 anos, envolve cerca de 25 PMEs, sendo que o CENTIMFE até ao final do ano irá selecionar as restantes PMES que faltam para completar o grupo.

Para mais informações: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.



Nos próximos anos, o Centimfe vai promover um conjunto de atividades com e para as empresas, entidades do Sistema Cientifico e os stakeholders em geral, no âmbito do FABRICO ADITIVO e suas potencialidades.

O CENTIMFE iniciou no passado mês de Setembro, o projeto europeu “SAMT SUDOE - Spread of Additive manufacturing (AM) and advanced materials Technologies for promoting industrial KET (Key Enabling Technologies) in plastic processors and mould industries within SUDOE space”. Este é um projeto europeu financiado pelo programa Interreg SUDOE através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER). Este programa, que apoia o desenvolvimento regional no sudoeste da Europa, promove a cooperação transnacional para resolver problemas como o baixo investimento em pesquisa e desenvolvimento e a baixa competitividade das PME.

O SAMT SUDOE pretende promover a aplicação de tecnologias KET de fabricação aditiva (impressão 3D) e materiais avançados na indústria de moldes e plásticos dentro do espaço SUDOE através da criação de redes e ligações entre empresas, centros de I+D, instituições do ensino superior e organismos públicos. Para isso, impulsionará a adoção de sistemas de produção avançados e novos materiais nas indústrias tecnológicas destas regiões que estão presentes numa grande variedade de sectores como o automóvel, a saúde, o têxtil, o calçado e os bens de consumo.

Os sectores de moldes e plásticos no espaço SUDOE enfrentam vários problemas comuns que prejudicam a sua capacidade de competir globalmente, tais como a dificuldade de envolvimento em atividades de I+D, dificuldades de incorporação das inovações desenvolvidas em universidades ou centros de I+D, obstáculos para atualizar a tecnologia e desenvolver as competências dos recursos humanos, entre outros.

Promover a aplicação das novas KET (Key Enabling Technologies) nestes sectores contribuirá para o desenvolvimento de atividades de I+D transnacionais capacitando tanto as empresas como as organizações para interagir continuamente com o sistema de I+D, permitindo-lhes por sua vez, entrar em mercados mais competitivos.

Esta iniciativa é liderada pelo AIJU – Centro Tecnológico dos Brinquedos (Espanha) que juntamente com o CENTIMFE (Portugal) e com o Centre National de la Recherche Scientique - CNRS ICMCB (França), vão contribuir com seu conhecimento e experiência nas tecnologias de Fabrico Aditivo (AM) e em materiais avançados. Além disso, o Cluster de Empresas Inovadoras do Valle del Juguete – CEIV (Espanha) irá fornecer a visão e o conhecimento relativamente aos setores alvo do projeto e o Instituto Valenciano de Competitividade Industrial – IVACE, será responsável por transferir este conhecimento para todos os setores produtivos.

Mais informação: http://bit.ly/2eNiW5g

O Centimfe participou de 7 a 10 de Novembro na WEB SUMMIT 2016 que teve lugar em Lisboa.
O evento dispensa apresentações. É o principal encontro sobre tecnologia e empreendedorismo da Europa e teve uma cobertura mediática enorme, com mais de 4 milhões de visualizações nas redes sociais e mais de 53.000 participantes.



Dos temas discutidos durante os quatro dias de evento destacam-se os veículos autónomos que terão um impacto enorme nas indústrias de moldes e plásticos.
A indústria portuguesa de moldes tem como principais clientes a indústria automóvel representando mais de 70% da produção nacional, como tal é fundamental compreender quais as tendências ao nível da mobilidade de modo a que as nossas empresas antecipem as necessidades dos seus clientes e se preparem para os novos desafios.

Estiveram presentes altos representantes das principais OEM do sector automóvel, tais como BMW, Renault-Nissan, Volkswagen, etc, em que transmitiram a sua visão sobre o futuro. A evolução tecnológica ao nível da inteligência artificial irá permitir a proliferação dos veículos autónomos. As questões relacionadas com hardware para o lançamento de veículos autónomos está praticamente resolvida, o que está em processo de desenvolvimento é Software capaz de decidir como um humano, ou melhor, em situações imprevistas.



O nível de autonomia dos veículos está classificado numa escala de 1 a 5 sendo que, 1 significa o condutor conduz 100% do tempo e 5 significa viatura completamente autónoma, neste caso já não terá volante nem pedais, como explicou Elmar Frickenstein da BMW.
Raj Rajkumar do GM-Carnegie Mellon Autonomous Driving Lab refere que presentemente estaremos no nível 2.8, isto é, uma função de cruise control mais avançada em que o carro é autónomo em algumas circunstâncias, nomeadamente em autoestrada e assistência no parqueamento. Contudo estas funções são limitadas e nem sempre funcionam.
As questões pendentes são muitas e complexas, deverá o veículo autónomo escolher entre a vida dos seus passageiros adultos ou a da criança que se atravessou na estrada? Questões como esta apresentam-se como um enorme desafio para os veículos autónomos.
O grande debate no setor centra-se entre os que defendem que poderemos ter veículos autónomos num prazo de cinco anos e os que defendem um prazo mais alargado, mas todos tomam o “autonomous driving” como um desígnio incontornável.
Sabemos então que os automóveis vão mudar, responder a diferentes necessidades de utilização, os combustíveis fósseis deixarão de ser uma opção.
As tendências apresentadas mostram que as indústrias de moldes e plásticos terão um papel importante na materialização das visões sobre o futuro. Contudo as empresas serão muito provavelmente muito diferentes das atuais. Martim Hofmann da Volkswagen compara os 5 níveis de automação do “automomous driving” à introdução da automação nas empresas na sua intervenção “Robotic enterprise: The future A.I.-run company”. Para os leitores que fiquem deprimidos após verem a apresentação de Martim Hofmann, propomos a intervenção “Toward an unworkable future”de Rowan Trollope da CISCO Systems, em que se combate a ideia da destruição de empregos decorrente da cada vez maior automação, com a criação de novos trabalhos que ainda não foram inventados. Novas profissões surgirão!
O veículo do futuro deverá responder a um tipo diferente de necessidades uma vez que não será necessário conduzir, todos os ocupantes poderão aproveitar o tempo para fazer outras coisas, pelo que todo o interior do automóvel será reconfigurado. O automóvel passará a ser um misto de sala de estar com escritório e local de entretenimento.
No futuro contaremos com cada vez mais plataformas e modelos de partilha de automóveis, sendo que as gerações mais jovens dão cada vez menos importância à posse e cada vez mais à utilização. Note-se que em geral os automóveis têm uma taxa de utilização ao longo da sua vida de 2% o que demonstra uma enorme ineficiência e desperdício. Um estudo da OCDE estima que um modelo de mobilidade baseado no “autonomous driving” e na partilha permitiria reduzir o trafego em Lisboa em 97%.
Os próximos anos dirão quem ganhará a corrida aos veículos autónomos, se os gigantes do Software como a Google ou a indústria automóvel tradicional. Provavelmente ambos!






O Centimfe vai estar presente na 16ª edição da EMAF a qual volta a apresentar a vanguarda das soluções e tecnologias do futuro durante 4 dias de 23 a 26 de Novembro na EXPONOR.

"A EMAF é o maior evento do sector industrial realizado em Portugal. A participação das principais empresas de máquinas e equipamentos para a indústria tornam-na numa das principais feiras da europa."

Consulte a lista de expositores e visite-nos!

Contamos com a vossa visita no Stand G552| Pavilhão GAL5

Autenticação